• Acompanhe-nos
Assédio moral: denuncie!
    29/10/2013 12h00
  • A violência moral no trabalho não é um fenômeno novo, podendo - se dizer, na verdade, que é tão antiga quanto o trabalho. Atualmente, porém, o problema vem aumentando em virtude das novas relações de trabalho. O Sintram não compactua ou tolera qualquer tipo de conduta abusiva e está de portas abertas para receber denuncias de assédio moral.

    As pressões por produtividade e o distanciamento entre os dirigentes e trabalhadores, inclusive das minorias, resultam na falta de comunicação direta, desumanizando o ambiente de trabalho, aumentando a competitividade e dificultando que o espírito de cooperação e de solidariedade surja entre os trabalhadores.

    Apesar de muito importantes, não são apenas as leis que resolverão o problema, mas, principalmente, a conscientização da vítima, do agressor e da própria sociedade, que precisa ser despertada de sua indiferença e de sua
    omissão.

    Assédio Moral é toda e qualquer conduta que caracteriza comportamento abusivo, frequente e intencional, através de atitudes, gestos, palavras ou escritos, que possam ferir a integridade física ou psíquica de uma pessoa, vindo a
    por em risco o seu emprego ou degradando o seu ambiente de trabalho.

    Algumas das situações que caracterizam assédio moral:

    • Dar instruções confusas e imprecisas ao trabalhador;
    • Bloquear o andamento do trabalho alheio;
    • Atribuir erros imaginários ao trabalhador;
    • Pedir-lhe, sem necessidade, trabalhos urgentes ou sobrecarregá-lo com tarefas;
    • Ignorar a presença do trabalhador na frente dos outros e/ou não cumprimentá-lo ou não lhe dirigir a palavra;
    • Fazer críticas ao trabalhador em público ou, ainda, brincadeiras de mau gosto;
    • Impor-lhe horários injustificados;
    • Fazer circular boatos maldosos e calúnias sobre o trabalhador e/ou insinuar que ele tem problemas mentais ou familiares;
    • Forçar a demissão do trabalhador e/ou transferi-lo do setor para isolá-lo;
    • Pedir-lhe a execução de tarefas sem interesse e/ou não lhe atribuir tarefas;
    • Retirar seus instrumentos de trabalho (telefone, fax, computador, mesa, etc.);
    • Agredir o assediado somente quando o assediador e vítima estão a sós;
    • Proibir colegas de falar e almoçar com o trabalhador.
Nossos endereços
  • Sede
  • Av. Getúlio Vargas, 21, Centro, Divinópolis - MG
    CEP: 35.500-024
    Telefone: (37) 3216-8484
    Atendimento de 8h às 17h30
  • Subsede Bambuí
  • Rua Olívio Alves Ribeiro, 134, Centro, Bambuí - MG
    CEP: 38.900-000
    Telefone: (37)3431-3486
    Atendimento de 8h às 17h30
 
  • Subsede Luz
  • Rua Antônio Gomes de Macedo, 554, Centro, Luz - MG
    CEP: 35.595-000
    Telefone: (37) 3421-4322
    Atendimento de 8h às 11h e de 12h30 às 17h30
  • Subsede Bom Despacho
  • Rua Vigário Nicolau, 111, sala 106, Centro, Bom Despacho - MG
    CEP: 35.600-000
    Telefone: (37) 99832-6038
    Atendimento de 08h30 às 10h30 e de 12h às 18h
Filiada à
Desenvolvido por Fesempre